Cirurgias

Como é a CIRURGIA DE GLAUCOMA?

A CIRURGIA DE GLAUCOMA é feita a laser, normalmente com anestesia local e, na maioria das vezes, em ambiente totalmente ambulatorial.

A CIRURGIA DE GLAUCOMA tradicional tem como objetivo principal ampliar o canal de escoamento do humor aquoso, de modo que ele não se acumule.

Já o objetivo da nova técnica de CIRURGIA DE GLAUCOMA age de maneira a diminuir as possibilidades de haver aumento da pressão na região. Mas essa técnica exige que o paciente já tenha sido ou seja operado de CATARATA simultaneamente, se for o caso.

Para quem a CIRURGIA DE GLAUCOMA é indicada?

A CIRURGIA DE GLAUCOMA não é uma forma de tratamento inicial. Ela é o último recurso a ser utilizado. A melhor maneira de conviver com o GLAUCOMA é realizando a prevenção, o acompanhamento e o uso de medicamentos específicos para essa condição.

Quando não há outras alternativas, a CIRURGIA DE GLAUCOMA surge como possibilidade para evitar a perda de visão devido à contínua compressão do nervo óptico.

Para realizar a cirurgia, a pessoa ainda precisa ter parte da visão e deve estar em boas condições de saúde, até mesmo para o pós-operatório. Pessoas jovens e/ou no início da progressão da doença experimentam melhores resultados.

A CIRURGIA DE GLAUCOMA recupera a visão perdida?

Não. A CIRURGIA DE GLAUCOMA não recupera a visão perdida. A sua ação não é corretiva e, sim, unicamente profilática, ou seja, ela visa impedir a progressão acelerada dessa condição.

Como não é possível recuperar os danos causados ao nervo óptico, a visão perdida muito raramente retorna, ainda que apenas parcialmente. No entanto, após a cirurgia há uma considerável melhora em sintomas como dores de cabeça e enjoos, devido ao aumento da pressão intraocular.

Ao diminuir a aceleração da progressão da doença, as outras medidas tendem a funcionar de maneira ainda melhor. A necessidade de acompanhamento, entretanto, não é excluída.

Quais são os riscos da CIRURGIA DE GLAUCOMA?

Por ser muito rápida e feita a laser, a CIRURGIA DE GLAUCOMA normalmente não apresenta grandes riscos. Geralmente, nem sequer exige internação, pois não causa grandes modificações na estrutura ocular.

No entanto, o maior risco — e quase certo — é que o resultado não é definitivo. Após a abertura de um novo canal de escoamento, é comum que o próprio processo de cicatrização do organismo leve ao seu fechamento, retornando para o estágio inicial.

Com isso, a necessidade de novos procedimentos, especialmente se não houver o acompanhamento devido, é um dos principais riscos.

A CIRURGIA DE GLAUCOMA é uma medida extrema e de prevenção contra a progressão da doença. Ela normalmente é a última opção considerada, já que os cuidados de acompanhamento e prevenção tendem a ser mais indicados. Porém, somente um oftalmologista será capaz de afirmar o que é mais indicado para você.


Clínica de Olhos AVANÇADA em ITABORAÍ-RJ:
(21) 3639.9240

Iniciar conversa
Fale Conosco
Olá👋, tudo bem? Entre em contato conosco🙂clicando no botão abaixo.👇
Powered by